Massacre deixa pelo menos quatro mortos e um ferido no cantão de Joya de los Sachas no Equador

Pessoal do Ministério Público e da Unidade de Criminalística da Polícia procederam ao levantamento dos corpos dos assassinados, enquanto o ferido recebe atendimento médico.

Google tradutor…

A Procuradoria-Geral do Equador anunciou esta quarta-feira que abrirá uma investigação após tomar conhecimento de um massacre a tiros registado na cidade amazónica de Joya de los Sachas, onde um grupo armado disparou contra quatro pessoas num bar e feriu mais uma.

O Ministério Público indicou numa mensagem na sua conta da rede X que, “com base nas atas e boletins de ocorrência” emitidos após aquele massacre, irá abrir “uma investigação após tomar conhecimento da descoberta de 4 pessoas falecidas e de um ferido em Jóia do Sachas”.

Pessoal do Ministério Público e da Unidade de Criminalística da Polícia procederam ao levantamento dos corpos dos assassinados, enquanto o ferido recebe cuidados médicos num lar de saúde, acrescentou a fonte, especificando que, neste momento, “não há relatos”. apreendido.”

Em vídeos que circulam nas redes sociais e que afirmam tratar-se daquele massacre, é possível observar o surgimento de quatro indivíduos armados que disparam no interior do bar, onde várias pessoas tentam fugir às balas.

Este crime se soma à onda de violência que o Equador tem sofrido desde o início deste ano, apesar de estar em vigor no país um estado de emergência decretado pelo presidente Daniel Noboa e que levou à intervenção dos militares em apoio da Polícia para tentar acabar com a insegurança incessante nas ruas do país.

Na terça-feira passada, o Presidente Noboa garantiu que não se deixaria intimidar pela “onda de violência” que se registou em quatro províncias costeiras nos últimos dias e que deixou cerca de vinte pessoas assassinadas.

O Equador está em estado de emergência desde janeiro passado, quando, devido aos elevados níveis de insegurança, Noboa declarou um “conflito armado interno” entre 22 grupos criminosos, que começou a chamar de “terroristas”.

A espiral de violência no Equador foi desencadeada logo depois de Noboa ter anunciado a sua decisão de lançar o seu ‘Plano Fénix’, com o objectivo de recuperar o controlo das prisões, muitas delas dominadas internamente por grupos de criminosos, cujas rivalidades deixaram mais de 450 prisioneiros assassinado desde 2020 em uma série de massacres em prisões.

Esta violência também tomou as ruas até que o Equador se tornou um dos países mais violentos da América Latina, com 45 homicídios por 100.000 habitantes em 2023.

0

Publication author

offline 8 horas

MAJOR

2 459
💀Nosso sorriso para os invejosos funciona como o brilho do sol para um vampiro. Acaba com a vida deles.
Comments: 18Publics: 2731Registration: 14-07-2022
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments