Ataque a escola em Cambé, no Paraná

Uma estudante de 17 anos foi morta a tiros na manhã de segunda-feira, 19, em ataque ao Colégio Estadual Professora Helena Kolody, que fica localizado em Cambé, no Paraná, em mais uma tragédia que comoveu a todos. Karoline Verri Alves, de 17 anos, não resistiu aos ferimentos e faleceu no local. Também atingido pelos disparos, Luan Augusto da Silva, de 16, veio a óbito às 3h27 da madrugada desta terça-feira, 20, segundo informações dos familiares. Logo após ser atingido na cabeça, o adolescente chegou a ser socorrido e internado. Seu estado de saúde era considerado gravíssimo.

Na noite de terça-feira, 20, o autor do ataque foi encontrado morto na cela onde estava preso na Casa de Custódia de Londrina. O município fica a cerca de 15 quilômetros de Londrina. A informação foi confirmada pela Polícia Militar do Paraná e pelo secretário de Educação do Estado, Roni Miranda Vieira. Segundo informações da polícia, existe a suspeita que o agressor tenha tirado a própria vida.

Conforme o governo estadual, o ex-aluno entrou armado no colégio, alegando que solicitaria seu histórico escolar. Ele foi detido após ser imobilizado e encaminhado para a cidade vizinha. A polícia ainda investiga o crime.

Como aconteceu a tragédia?
Um ex-aluno, de 21 anos, entrou armado no Colégio Estadual Professora Helena Kolody na manhã de segunda-feira, por volta das 9 horas, alegando que solicitaria seu histórico escolar.

Poucos minutos depois, ele se dirigiu até os alunos e atirou várias vezes, conforme as investigações. Pelo menos 16 disparos foram efetuados em direção às vítimas. Karoline não resistiu aos ferimentos e faleceu no local. Luan veio a óbito na madrugada desta terça-feira. Ele foio socorrido, mas seu estado de saúde era considerado gravíssimo.

O que aconteceu com o autor do crime?
O ex-aluno foi detido e encaminhado para Londrina. Ele estava em uma cela na Casa de Custódia de Londrina, quando foi encontrado morto na noite de terça-feira. A informação foi confirmada pela Polícia Militar do Paraná e pelo secretário de Educação do Estado, Roni Miranda Vieira.

Segundo informações da polícia, existe a suspeita que o agressor tenha tirado a própria vida. A ocorrência foi registrada às 22h40. Autoridades e socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estiveram no local para confirmar o óbito.

Outro homem, também de 21 anos, que foi preso na segunda-feira por suspeita de ajudar a organizar o ataque estava na mesma cela.

A polícia ainda investiga o caso.

O crime foi planejado? O que ainda falta apurar?
“Ele tinha essa ideia na cabeça há quatro anos. Ele comprou o revólver, já com um tempo considerável, há um mês e meio. Também comprou a machadinha no dia 10 de junho”, afirmou o delegado-chefe da Polícia Civil de Londrina, Fernando Amarantino Ribeiro, que investiga o caso. Ele revelou ainda que o suspeito esteve na escola há cerca de 30 dias para analisar o espaço antes de cometer o ataque.

Conforme mostrou o Estadão, a Secretaria de Segurança Pública do Paraná informou que, além dos itens citados anteriormente, foi encontrado com ele um caderno com anotações sobre ataques em escolas. Além disso, foi revelado que o agressor é esquizofrênico e estava em tratamento, de acordo com informações fornecidas por sua família.

O autor revelou, durante depoimento, que o ataque à escola ocorreu como forma de retaliação aos episódios de bullying supostamente sofridos por ele no período em que estudou na instituição. O suspeito frequentou o colégio por pelo menos sete anos e saiu em 2014.

O caso ainda permanece em investigação, mas deve ter mudanças no desdobramento após a morte do autor do crime. Ao menos seis pessoas foram ouvidas na segunda-feira. Outros familiares e profissionais devem prestar depoimento nos próximos dias.

Quem ajudou a imobilizar o agressor?

Após ouvir os sons dos tiros, Joel de Oliveira, 62 anos, foi até a escola, disse ao atirador que era policial e o imobilizou até a chegada das viaturas. Se não fosse a ação de Oliveira, prestador de serviços de uma clínica de fisioterapia próxima ao Colégio Estadual Professora Helena Kolody, o ataque à escola que matou dois alunos na segunda-feira, 19, poderia ter sido muito pior.

Na hora, afirma Oliveira, ele nem pensou nos riscos e agiu de forma instintiva. “Foi tudo muito rápido. Eu tenho muitos amigos que têm filhos que estudam lá na escola, então nem consegui pensar muito. Eu saí correndo e vi se conseguia ajudar de alguma forma”, disse. Ele não tem qualquer experiência na área de segurança e nunca teve preparação para esse tipo de situação. “Agi totalmente no instinto para ajudar aquelas crianças.”

Inicialmente, o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), havia afirmado, na segunda-feira, 19, que o autor do crime teria sido contido por um professor que tinha passado recentemente por um treinamento sobre como reagir em ataques a escolas.

“O professor que imobilizou esse ex-aluno passou por um treinamento recentemente, e as forças policiais chegaram em apenas três minutos ao colégio depois do acionamento, o que evitou uma tragédia ainda maior”, disse anteriormente o Ratinho Junior, que decretou luto oficial de três dias no Estado.

O autor dos disparos conhecia as vítimas?
Ao Estadão, o secretário de Educação do Paraná disse que as informações preliminares apontam que o autor não tinha relação com as vítimas. Ainda de acordo com a investigação, o jovem declarou ter atirado de forma aleatória, sem mirar em pessoas específicas.

Quem são as vítimas?
Os dois estudantes atingidos pelos tiros disparados pelo ex-aluno durante o ataque eram namorados e colegas de sala. Eles cursavam o 3.º ano do ensino médio no Colégio Estadual Professora Helena Kolody. A rede de ensino tem 41 turmas e 634 alunos ativos, segundo a Secretaria da Educação do Paraná. A escola atende turmas de ensino fundamental e médio.

Ex-coroinha em uma igreja da cidade, Karoline não resistiu aos ferimentos e morreu no local da tragédia. Ela participava do grupo de jovens da Paróquia Santo Antônio de Cambé, onde seus pais são coordenadores. “A jovem era atuante na Igreja”, disse a paróquia.

Luan veio a óbito às 3h27, segundo informações dos familiares. Logo após ser atingido na cabeça, ele chegou a ser socorrido e internado. Seu estado de saúde era considerado gravíssimo. Segundo o Hospital Universitário de Londrina, os médicos tentaram estabilizar o quadro de saúde do jovem, que respirava com a ajuda de aparelhos.

A.L., proprietário de um comércio próximo ao Colégio Estadual Professora Helena Kolody, que prefere não ser identificado, testemunhou os momentos de pânico e desespero vividos pelos alunos e professores. Foi em sua loja que muitos deles buscaram abrigo e segurança após o ataque.

“Eles vieram correndo, todos assustados, a maioria chorando. Tinha professor, zelador, aluno… Estavam bem desesperados”, contou ao Estadão. Alunos, funcionários e professores ficaram no seu estabelecimento até que familiares foram chegando para buscá-los.

Familiares, amigos e dezenas de moradores de Cambé lotaram a fachada do salão paroquial da Igreja Matriz da cidade, no início da tarde de terça-feira para a despedida dos estudantes mortos no ataque.

Como as autoridades se posicionaram sobre a tragédia?
Por meio das redes sociais, o governador Ratinho Junior lamentou a tragédia. “A violência do brutal ataque em uma escola estadual em Cambé causa indignação e pesar. O assassino foi preso, será julgado e condenado pelo crime bárbaro que cometeu”, publicou.

Fonte: estadão


5

Publication author

offline 7 horas

MAJOR

2 459
💀Nosso sorriso para os invejosos funciona como o brilho do sol para um vampiro. Acaba com a vida deles.
Comments: 18Publics: 2711Registration: 14-07-2022
Subscribe
Notify of
guest

26 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
rolandiano

“Columbine Brasileiro”
“Armas automáticas” – um revólver.
“Uma boa taxa de vítimas” – duas vítimas, e quase que uma delas sobrevive.
“E suicídio afinal” Ele se mata dois dias depois na cela dele.

0
Hitler

Heroi nacional, fez sua vingança!

0
Doomer

Kkkkkkk é um fudido mesmo não tanko e foi de base

0
Sla mna

Tem mas parte?

0
Hitler

Fudido é você, matou quantos? Medrosinho.

0
goregrinder666

cala a boca mlk, c nem sai de casa krlh KKKKKKKKKK

0
Hitler

Fudido é você. Matou quantos hoje? Medrosinho.

0
Eu gosto disso

Passou vergonha! Imitou o Erick Harris,se ele fosse mais experto no plano seria melhor mais kill e mais lembranças.

0
gore48cd

mas bullying é frescura né? o pcc surgiu porque sofriam bullying

0
goregrinder666

bullying n justifica porra nenhuma, esse mlk era só um verme mesmo

0
boris666

esse mano e foda

-1
joh wick

mano tenho a foto desse fila da puta morto na cadeia enforcado como faço para madar

0
Raregang BITCH

mano manda p min insta prfv veryrare__6 conhço um parente d uma das vitimas, tenho q dar essa satisfação a ela

0
Sla mna

Mandaaa mano

0
Lucas Corinthians

E tá errado?

0
Gleison

O tio meteu o pinto no ânus peludo dele , quando criança . Aí cresceu bravinho e problemático , dando um coringa do Brasil … Aí na cadeia comeram ele de novo e mataram ele na cela kkkkk

0
IgorNihil

Isso é falta de Jesus na vida da pessoa.

0
Aleixon

O Homem da galiléia o abandonou olha ai o resultado , ele não é culpado a culpa é de quem deixou essa desgraça acontecer!

0
BEM FEITO

**SUA SUPOSIÇÃO DE QUE**
“O tio meter o pinto no ânus dele quando” ***(CRIANÇA)***
É MUITO E EXTREMAMENTE GRAVE HEIN Gleison.

0
Gleison

Mais é verdade foi abusado, lar destruído sem Pai . Aí ficou louco , é só um fato que eu disse …

0
El chapo

Polícia existe pra quê né?

0
paulo

O porquinho no final, oinc 🐷🐷🐽

0
Jukaa

Mais um merdinha que foi aliciado pelo titio querendo fazer história.

0
BEM FEITO

Porque?

0
Motoqueiro Fantasma

Notícia Fresca! Galera tá foda!

0
Motoqueiro da noite

Porra os caras são bons! Trouxeram a notícia fresquinha

0